domingo, março 06, 2011

[The King's Speech] Speechless

Hoje vi o vencedor deste ano do Óscar de Melhor Filme: The King's Speech.


Confesso que muito provavelmente o filme ter-me-ia passado completamente ao lado (apesar dos inúmeros prémios por ele arrecadados), não tivesse sido eu convidado por uns amigos para o ir ver esta tarde com eles.

Nunca fui muito interessado em biografias em geral, nem um aficionado - de todo - por História.

Deparei-me com The King's Speech a primeira vez muito provavelmente num qualquer site sobre cinema que vou consultando com alguma regularidade. E em nenhuma das vezes dei grande atenção ao que se escrevia sobre ele.

Mas o que é certo é que hoje o vi, no cinema em Vejle, com legendas em Dinamarquês - para as quais olhava de vez em quando, já reconhecendo algumas palavritas... =D


A história do filme não tem muito que se lhe diga, afinal de contas tudo gira em torno do problema de gaguez do Rei George VI. Nada complexa ou surpreendente, o facto é que não deixa de ser cativante! Muito em parte, obviamente pelo trabalho do elenco. Colin Firth recebeu com este filme o reconhecimento que muitos dizem já ser merecido há muito tempo. Confesso que antes deste filme apenas o associava a títulos como Diário de Bridget Jones e Mama Mia, nenhum deles impressionante no ponto de vista do seu desempenho - não por falta de mérito do actor, mas pelo simples motivo dos papeis não se prestarem a grandes destaques.

Independentemente da consideração que tivesse pelo protagonista deste drama, o que é certo é que me conquistou totalmente. Óscar mais do que merecido! O trabalho do actor é brutal! Confesso que tive a lágrima no canto do olho em alguns momentos do seu discurso (i.e. não propriamente "o" discurso, mas ao longo do filme).


A Helena Bonham Carter não tem um papel de grande destaque, apesar de ser a esposa de sua alteza real, no entanto cumpre o seu dever e prova mais uma vez que não é uma actriz qualquer. Esteve igualmente muito bem. Outra coisa não seria de esperar, afinal de contas também ela esteve nomeada para o Óscar de Melhor Actriz Secundária.


Mas Geoffrey Rush foi a grande surpresa. Se The King's Speech tivesse levado com um quinto Óscar - o de Melhor Actor Secundário - não ficaria minimamente surpreendido tal foi o brilhantíssimo desempenho deste veterano, já premiado em 1997 com o filme Shine. Lionel, o seu personagem, foi duma sensibilidade, humanidade, irreverência e astúcia marcantes. Definitivamente o filme não teria sido o mesmo sem este grande actor.

Entre os outros Óscares arrecadados, esteve o de Melhor Realização. E de facto os planos escolhidos, os enquadramentos, fotografia, todo um conjunto de escolhas feitas por Tom Hooper fizeram deste filme uma obra de arte. Não foram decisões fáceis e diria até que algumas foram mesmo arriscadas, pois nem sempre o desafio das regras, do que é tradicional, resulta. 

Este filme resultou. E muito bem! Estou muito satisfeito por ter sido convidado a ir vê-lo e por não ter desistido para ficar em casa a arrumar o meu quarto. Durante a semana cá darei um jeito para limpar o pó ali à estante! :)

Recomendadíssimo.

Até logo.

2 comentário(s):

ups disse...

Rei George VI. O Charles VI é outro! :P

Marcos Bessa disse...

É caso para dizer "ups"...... :P

Obrigado pelo reparo! ;)

Este blogue pertence a Marcos Bessa, eu próprio, e tudo o que aqui escrevo diz respeito apenas e só à minha opinião pessoal ou visão dos mais variados assuntos do quotidiano e não pode ser jamais confundido com a opinião, ideologia ou ponto de vista de qualquer outra entidade que possa estar ligada a mim, como seja a empresa que me emprega neste momento: LEGO System A/S.
Todo o conteúdo original deste blog não pode ser copiado, seja integral ou parcialmente, sem a devida referência à sua origem e um link para a mesma.
Todos os comentários publicados são da total responsabilidade dos seus autores.
Este blogue não tem qualquer apoio ou ligação com qualquer empresa aqui mencionada.